sua web rádio 

Filipenses 4:13

Posso todas as coisas naquele que me fortalece

Para Deus existe pecadinho e pecadão?

06 OUT 2017
06 de Outubro de 2017

Você Pergunta: Todo pecado é igual aos olhos de Deus?

Caro leitor, essa é uma questão bastante complexa. Talvez a resposta a essa pergunta seja sim e não. Eu explico.

O pecado, aos olhos de Deus, é uma ofensa a Sua santidade e, por isso, traz sobre nós condenação. Desde aquele que nós consideramos leve, como uma mentira, até aquele que consideramos grave, como um assassinato. Desse ponto de vista, Deus trata o pecado de forma uniforme. Todos os tipos de pecados levam o homem a condenação e ofendem a Deus. Nas listas de pecados mencionadas na Bíblia, eles são citados um após o outro, sem uma escala de maiores ou menores pecados. Observe que a glutonaria (comer exageradamente) está na mesma lista que a prostituição. Veja:

“Ora, as obras da carne são conhecidas e são: prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissensões, facções, invejas, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes a estas, a respeito das quais eu vos declaro, como já, outrora, vos preveni, que não herdarão o reino de Deus os que tais coisas praticam.” (Gl 5. 19-21)

A Bíblia quando fala do resultado que o pecado provoca em nosso relacionamento com Deus, também não separa os tipos de pecado em maiores ou menores, mas os agrupa numa mesma ordem de importância perante Deus. Veja:

“Mas as vossas iniquidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça.” (Isaías 59. 2).

Nessa primeira parte, então, não existe pecadinho e pecadão para Deus. Todo pecado, maior ou menor, fere a santidade de Deus e traz condenação a quem o praticou.

Na segunda parte veremos que há sim pecados maiores e menores aos olhos de Deus. Devemos considerar que alguns pecados têm circunstâncias agravantes que os fazem mais odiosos aos olhos de Deus. São pecados que trazem em si agravantes que pesam no julgamento de Deus que é justo.

Por exemplo: Um jovem ainda sem experiência que comete um pecado na ignorância da sua tenra idade tem o seu pecado menos odioso aos olhos de Deus do que um homem maduro que já sabe o que deve ou não fazer. Outro exemplo: Uma pessoa que tira a vida de outra comete pecado mais odioso perante Deus do que aquele que proferiu uma mentira. Mais um: Um religioso que conhece a Lei de Deus e mesmo assim a descumpre, tem pecado mais odioso do que alguém que peca, mas que ainda não conhece a Lei de Deus. É uma questão de justiça.

A Bíblia cita um caso interessante, quando diferencia  o roubo de um ladrão que o fez para saciar a fome. “Não é certo que se despreza o ladrão, quando furta para saciar-se, tendo fome?” (Pv 6. 30)

Jesus fez diferenciação de pecado em maior ou menor quando do seu encontro com Pilatos. Veja: “Respondeu Jesus: Nenhuma autoridade terias sobre mim, se de cima não te fosse dada; por isso, quem me entregou a ti maior pecado tem.” (Jo 19. 11). Ou seja, os acusadores de Jesus, que foram os religiosos conhecedores da Lei, tinham um pecado muito maior do que o de Pilatos, pois fecharam seus olhos para a Lei. Pilatos, não conhecedor profundo da Lei de Deus, foi covarde em seu julgamento, pecou, mas tinha um pecado menor do que o deles nessa condenação.Também podemos usar como exemplo o pecado imperdoável citado pela Bíblia, que é o maior e mais odioso de todos os pecados aos olhos de Deus: “Por isso, vos declaro: todo pecado e blasfêmia serão perdoados aos homens; mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada.” (Mt 12. 31).

Voltar

© 2017 Fernando Lopes registro SRTE 19588/RJ. Todos os direitos reservados.